sexta-feira, 6 de abril de 2012

Ser estudante é complicado

Tal como muitos outros estudantes universitários, em Julho passado concorri à atribuição de uma bolsa de estudos para o ano letivo 2011/12 enviando para o site da DGES uma catrafulhada de documentos. Em Setembro notificaram-me dizendo que estava indeferido o meu processo por falta de documentos, entre os documentos que estavam em falta havia um documento que eu tinha enviado em Julho e pediam-me uma qualquer declaração que comprovasse a minha residência para as passagens aéreas como se eu fosse de Guimarães para a Covilhã de avião (devem ter-me confundido com um insular). Voltei a recolher documentos, tive de andar a explicar que eu não vivia nas ilhas e não precisava de passagens aéreas e entreguei os documentos.
Entretanto, em Outubro enviaram-me nova notificação dizendo que um dos documentos que eu havia enviado já não era necessário bastava que eu autorizasse a consulta on-line, lá preenchi eu mais um formulário e fui entregar.
Em Novembro voltaram a chatear-me dizendo que o meu agregado familiar tinha uma divida nas finanças e por isso não podia ser bolseiro. Fui às Finanças perguntar o que eu devia mas afinal foi um erro qualquer porque ninguém devia nada e eles comprovaram isso e eu lá enviei novamente um documento.
Em Janeiro voltaram à carga novamente e disseram que eu tinha uma divida na Segurança Social, fui à Segurança Social e realmente tinha uma divida mas era um erro deles que seria automaticamente corrigido em Fevereiro, e lá eu levei novamente um documento a dizer que não lhes devia nada.
Ainda em Janeiro voltaram a dizer que o agregado familiar devia às Finanças e queriam um comprovativo em que se podia ler "do agregado familiar excepto o candidato" afirmando que não devia nada, fui entregar pessoalmente e a funcionária disse-me que queriam só do agregado familiar, mas para aguardar que haveriam de me notificar. Como eu sabia que ia precisar, fui às Finanças buscar o documento e tive de esperar uma semana porque não era entregue no momento. Entretanto dia 6 de Fevereiro recebo uma notificação para entregar o documento no prazo de dez dias mas como ainda não o havia recebido só o pude enviar no dia 8, dois dias depois.

No final de Fevereiro recebo a Decisão Final, dizendo que eu não receberia bolsa porque não apresentei o último documento dentro do prazo definido sendo que eu tinha 10 dias para entregar e entreguei logo no segundo.
Escrevi então uma reclamação, do género desta, e hoje recebi nova resposta, a minha bolsa de estudo está de novo a ser analisada e neste momento pedem-me um comprovativo de que estou matriculado na UBI (porque não sabem que estou matriculado) e um outro que ateste que o meu grau académico não é superior aquele em que estou matriculado (neste momento já sabem que estou).

E pronto é assim, na próxima semana vou lá entregar os documentos todos e vou perguntar se falta mais alguma coisa, entretanto peço para me guardarem isso que o ano está já a acabar e entretanto também me desenrasco e entregam-me no próximo enquanto se decidem se concedem ou não bolsa de estudos.

Entretanto, as aulas começaram à quase 7 meses e ainda não tenho um resultado definitivo isto depois de o Sr. Pedro Passos Coelho ter dito em campanha eleitoral que o processo de atribuição de bolsas este ano seria muito mais rápido nos anos anteriores, o que é certo é que o ano passado em Janeiro já estava a receber.

4 comentários:

Filipe Fumega disse...

É por isso que gosto da UM é tudo em papel no SAS da universidade. Mas eu acho é que como o Estado não tem dinheiro eles não te querem dar a bolsa e estão a ver se desistes. ahaha
Até porque há meninos ricos que precisam de bolsa, apesar de trocarem de carro de 3 em 3 meses.

Agora mais a sério já experimentaste pedir o livro de reclamações? Se fizeres uma reclamação no livrinho o assunto chega à tutela, leia-se ministério.

Luís André Costa disse...

Na UBI também dá para fazer tudo por papel, mas o SAS da UBI no 5º do Carago e mesmo com autocarros não ficamos à porta por isso é que prefiro enviar. Mas também tenho colegas que vão sempre lá entregar os documentos e mesmo assim perdem-nos.

A ver vamos, acho que desta vez fica resolvido senão já sei por onde começar a meter ferrinho.

Lillipops disse...

Isto é uma daquelas situações em que o pessoal tem que se rir para não chorar. Se calhar o melhor é te adiantares ao pessoal da DGES e pedir já uma certidão em como estás vivo, por este andar é só o que falta.

Lillipops disse...

Isto é uma daquelas situações em que o pessoal tem que se rir para não chorar. Se calhar o melhor é te adiantares ao pessoal da DGES e pedir já uma certidão em como estás vivo, por este andar é só o que falta.